Perfil

Criamos esse espaço para que nossos pacientes, amigos e curiosos por nutrição possam sempre encontrar informações, novidades, receitas e dicas que vão de encontro ao nosso atendimento. Esperamos que vocês curtam!

CONTATO:

Rua Dr. Montaury 1441 sala 402. Caxias do Sul/RS
Tel: (54) 30664554
Whats: (54) 981557525
Email: clarisse@corporesanocaxias.com.br
Site: www.corporesanocaxias.com.br
Face: www.facebook.com/clarisse.zanette
Instagran: @clarissezanette

20 de novembro de 2009

A... – Bifidobacterium animalis

Recebi um e-mail, que circula na internet sobre um iogurte.
Eu já havia lido no site da D... um comunicado sobre este assunto, mas hoje recebi um e-mail de amiga perguntando se era verdade. Então achei interessante escrever sobre este assunto.
Uma pessoa que se diz nutricionista M. C. D. (São Paulo – não está registrada no nosso conselho de nutrição) publicou um e-mail em que diz que o iogurte A.... é feito através de fezes humanas.

Segundo a empresa o iogurte é um leite fermentado, com cepas de iogurte tradicional e um fermento específico: o Bifidobacterium animallis DN-173 010, subsp lactis, que leva o nome comercial de DanRegularis.
Bifidobacterium animallis é uma bactéria anaeróbica gram-positiva encontada nos intestinos de animais de grande porte, inclusive humanos.
No e-mail em que recebi a “nutricionista” escreve que o iogurte ajuda na digestão pelo
simples fato de que a bactéria adicionada pela empresa pertence a uma cepa mais irritante para a mucosa intestinal, que ao entrar em contato trata de expelir o mais rapidamente possível o material fecal.
Mas o Bifidobacterium animallis subsp lactis (ou b.lactis) não apresenta nenhuma característica que irrite ou agrida a mucosa intestinal. Existem estudos científicos mostrando que o iogurte melhora a qualidade de vida dos indivíduos que sofrem com a síndrome do intestino irritável. Outro ponto importante é que outras espécies do gênero Bifidobacterium podem ser encontradas naturalmente no trato intestinal de indivíduos saudáveis.

Sabemos que todos os iogurtes que são fermentados possuem algum tipo de bactérias. Existem os iogurtes que são chamados de probióticos (ver matéria em marcadores - probióticos), pois apresentam algum benefício à saúde, como algumas marcas encontradas nos supermercados.

Para encerrar, gostaria de deixar aqui um recado:
“Sempre que se tratar de assunto relacionado com a saúde, não vá na conversa de e-mail sem origem e de autoria deconhecida. Procure o seu médico ou nutricionista e terá uma orientação adequada”

10 de novembro de 2009

Incluir um bom pescado na dieta traz mais saúde



Comer pescado é saudável e saboroso. O consumo regular de pescado traz benefícios à saúde. De modo geral, os peixes são boas fontes de todos os aminoácidos essenciais, que ajudam a formar proteínas, necessárias para o crescimento e a manutenção do corpo humano. São também fontes importantes de ferro, vitamina B12, cálcio e gorduras essenciais, fundamentais ao bom funcionamento do corpo.

O Ministério da Pesca e Aqüicultura e o Misnistério da Saúde, com a agência de Vigilância Sanitária – ANVISA – apresentam dicas de como melhor consumir o pescado:

* Porque o Pescado faz bem?

São fontes de Ômega 3 (atum, pintado, sardinha, salmão, anchova, arenque, tainha, bacalhau e truta). O ômega 3 ajuda a reduzir os riscos de doenças coronarianas, alguns tipos de câncer e no tratamento de doenças inflamatórias (como artrite reumatoide). Além de ajudar na obesidade, porque o teor de gordura do peixe é baixo, fazendo uma órtima opção de proteína e favorecendo o emagrecimento.
Para estes benefícios o ideal é consumir de 1 a 2 g de Ômega 3 /dia ou 2 porções de peixe por semana mostraram resultados positivos.

* O que observar ao comprar pescado?

1) Fresco e resfriado:
• O pescado fresco possibilita ao consumidor verificar a qualidade dos alimentos;
• O peixe deve possuir pele firme, úmida e sem presença de manchas;
• Os olhos devem ser brilhantes e salientes;
• Escamas unidas entre si e brilhantes;
• Mariscos frescos só podem ser vendidos vivos;
• Polvos e lulas devem possuir carne consistente e elástica;
• Livre de contaminantes (areia, metais, plásticos, combustíveis, sabão e moscas).

2) Congelado:
• O pescado congelado industrialmente é submetido a temperaturas menores a -25°C e depois mantido a menores de -15°C;
• A data de validade deve ser sempre verificada.

3) Seco:
• Cuidar mofos, ovos ou larvas de moscas, manchas escurar ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradavel;
• Sempre armazenado em local limpo e protegido de poeira e insetos
• Exemplo: bacalhau

4) Enlatado ou conserva
• O enlatado é um dos métodos de processamento mais utilizados na conservação do pescado;

• Pescado em conserva é armazenado em recipientes herméticos, sem conservantes podendo ser vendido: “ao natural” (em salmora adicionado ou não de temperos) e/ou“Em azeite ou em óleos comestíveos”

* Atenção a Embalagem:

Dentre as informações obrigatórias, sempre verificar a data de validade e se o produto possui o Selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), estadual e Municipal.

* Dicas de Preparo:

1) Grelhar, assar e cozinhar a vapor são os melhores maneiras de preparar o seu pescado mantendo suas propriedades nutricionais e benefícios à saúde.
2) Quanto de frita os pescados, eles podem absorver o óleo e destruir parte do Ômega 3 e das vitaminas.
3) Deve-se sempre retirar o couro antes de consumi-los.
4) Utiliza temperos naturais: cebola, alho, temperos verdes, manjericão, manjerona, louro, etc.
5) Sempre que a carne estiver pronta ela ficará com a textura branca.
6) Para preparar peixes salgados, você deve dessalgá-lo da maneira correta. Deve-se colocar o peixe com pele e já cortado em água gelada dentro da geladeira e trocar a água 3 vezes por dia. Para manter o sabor do peixe coloque gelo dentro da vasilha.

* Dicas de congelamento domiciliar:

1) Nunca se congela um pescado que já foi descongelado.
2) o peixe pode ser congelado novamente se foi cozido ou assado.
3) O ideal é congelar peixes inteiros e sua pele é sua proteção.
4) Sempre identificar o produto e data do congelamento.