Perfil

Criamos esse espaço para que nossos pacientes, amigos e curiosos por nutrição possam sempre encontrar informações, novidades, receitas e dicas que vão de encontro ao nosso atendimento. Esperamos que vocês curtam!

CONTATO:

Rua Dr. Montaury 1441 sala 402. Caxias do Sul/RS
Tel: (54) 30664554
Whats: (54) 981557525
Email: clarisse@corporesanocaxias.com.br
Site: www.corporesanocaxias.com.br
Face: www.facebook.com/clarisse.zanette
Instagran: @clarissezanette

22 de novembro de 2013

De 19 marcas de azeite extra virgem apenas 8 são considerados legitimos



A Proteste – Associação de Consumidores testou 19 marcas de azeite extra virgem e constatou que quatro (Figueira da Foz, Tradição, Quinta d’Aldeia e Vila Real) não podem nem ser consideradas azeites, e sim uma mistura de óleos refinados.


 
Menos da metade dos produtos avaliados, apenas oito, apresentam qualidade de extra virgem. São eles: Olivas do Sul, Carrefour, Cardeal, Cocinero, Andorinha, La Violetera, Vila Flor, Qualitá.
Os outros sete (Borges, Carbonell, Beirão, Gallo, La Espanhola, Pramesa e Serrata) são apenas virgens. Dos quatro testes que a entidade já realizou com esse produto, este foi o com o maior número de fraudes contra o consumidor.
As propriedades antioxidantes do azeite de oliva são o principal atrativo do produto, devido ao efeito benéfico à saúde. Mas para que o azeite mantenha suas características, é importante que ele não seja misturado a outras substâncias. Os quatro produtos desclassificados pela entidade são, na verdade, uma mistura de óleos refinados, com adição de outros óleos e gorduras. Em diversos parâmetros de análise, essas marcas apresentaram valores que não estão de acordo com a legislação vigente. Os testes realizados indicaram que os produtos não só apresentam falta de qualidade, como também apontaram a adição de óleos de sementes de oleaginosas, o que caracteriza a fraude.
Outros sete não chegam a cometer fraude como esses, mas também não podem ser vendidos como extravirgens. A entidade ressalta que o consumidor paga mais caro, acreditando estar comprando o melhor tipo de azeite e leva para casa um produto de qualidade inferior.
É considerado fraude o produto vendido fora das especificações estabelecidas por lei. Para as análises, foram considerados parâmetros físico-químicos para detectar possíveis adulterações: espectrofotometria (presença de óleos refinados); quantidade de ceras, estigmastadieno, eritrodiol e uvaol (adição de óleos obtidos por extração com solventes); composição em ácidos graxos e esteróis (adição e identificação de outros óleos e gorduras); isômeros transoleicos, translinoleicos, translinolênicos e ECN42 (adição de outras gorduras vegetais).
A entidade vai notificar o Ministério Público, a Anvisa e o Ministério da Agricultura, exigindo fiscalização mais eficiente. Nos três testes anteriores foram detectados problemas. Em 2002, foram avaliados os virgens tradicionais e foi encontrada fraude. Em 2007, a situação se repetiu com os extravirgens. Em 2009, uma marca que dizia ser extravirgem não correspondia à classificação. Para a Proteste, isso demonstra que os fabricantes ainda não são alvos da fiscalização necessária.
A reportagem procurou os quatro fabricantes dos óleos desclassificados. A importadora do óleo Quinta d’Aldeia não possuía porta-voz imediatamente disponível para comentar o assunto. As outras três marcas não tiveram representantes localizados.

Fonte: O Globo
 

12 de novembro de 2013

É feijão que não acaba mais



Conheça as características dos principais tipos

CARIOCA
                Essa variedade domina o mercado nacional. Sorte que não pesa na balança: uma concha média, com 100g, reúne míseras 76 calorias. Só não vale incrementar com bacon e outras especiarias mais calóricas.





PRETO
                Curiosamente, esse, sim, é o tipo preferido dos cariocas. Obrigatório na feijoada, ele é escuro devido a presença de antocianina, um pigmento de ação antioxidante.






 
FRADINHO
                Adorado pelos nordestinos, marca presença em pratos como baião de dois. Sua capacidade de
baixar o colesterol ruim já está comprovada. Só não vale comê-lo no acarajé.




  
JALO
                Mais robusto, faz sucesso em Minas Gerais. Tem um monte
de proteínas em uma concha média, são 6,1g do nutriente. No feijão-carioca, esse valor é de 4,8g.


 
RAJADO
                Quem mora em Belém conhece bem esse grão. Nele o que se destaca é a quantidade de fósforo,
mineral que atua junto com o cálcio na prevenção da osteoporose.




ROSINHA
                Pequenino e levemente rosado, ele é mais abastecido de zinco que seus parentes. Esse mineral
fortalece o sistema imunológico e facilita a cicatrização.




 ROXO
                Consumido em Minas Gerais, no Paraná e em Goiás, é um alimento de fibra: em uma concha, são
11,5g da substância que destrava o intestino. No carioca são 7,5g.



 
BRANCO
                O diferencial está na presença de faseolamina, que dificulta a absorção de carboidratos. Mas não
adianta se entupir do grão. Apenas a farinha fornece boas doses da substância.




 
Escolha o seu preferido e aproveite todos os nutrientes!
 

Ansiedade gestacional sob controle

Sabe o nervosismo típico de quem está esperando bebê? Na Universidade Bristol, no Reino Unido, especialistas encontram evidências de que com a ingestão de peixes, este nervosismo pode ser minimizado. 
Foi avaliado o padrão alimentar de aproximadamente 9 500 gestantes e seus estados emocionais para chegar a conclusão de que as gestantes que não consumiam eram 53% mais propensas a apresentar ansiedade.
Para evitar a inquietação, o ideal seria consumir de duas a três porções de peixe por semana, de preferência aqueles ricos em ômega 3, como atum, salmão e sardinha. Ao que tudo indica esse é o nutriente associado à ação tranquilizadora.

Fonte: Revista Saúde 10/2013

17 de outubro de 2013

35° Semana gestacional


Fazendo a mala do bebê:

O último mês de gestação se aproxima e já devemos começar a arrumar as malas do Bebê e da mamãe.

Separe um dia para preparar as malas e as mudas de roupas do bebê para levar à maternidade, pois logo ele estará no seu colo.

O que levar para maternidade Bebê:

- Cobertor (depende da época);

- Fraldas (eu separei 24 unidades RN);

- Lenço umedecido;

- 3 mudas de roupas (bodies, tip-top, casacos de lãs, meias);

- Panos de boca;

- Mamadeira e bico (sei que não pode levar – Verificar se o Hospital é Amigo da Criança);

- Cortador de unha;

- Talco;
 
- Mobili para a porta do quarto;

- Cadeirinha para o carro.

Dica: Separar os conjuntinhos que você vai querer vestir e colocar num saquinho.

Deixar separado para o papai entregar na maternidade a 1° muda!

 
 


 
Últimos exames:

Geralmente os médicos solicitam um eco dopller (verifica as artérias) e streptococcus B (é um tipo de bactéria que com frequência existe no intestino das pessoas. Essas bactérias podem acabar "colonizando" a vagina também, e aí existe o risco de transmissão ao bebê durante o parto).
Se der positivo o exame leve para o seu médico ver e iniciar o tratamento.

 

Você e seu corpo:
Retenção de líquido: Dica ingerir bastante água nesta fase e fazer repouso. Principalmente deixar as pernas para cima!


Seu Bebê:
Nesta semana o bebê está pesando média 2,5Kg e 45 cm.

Muitos bebês já entraram em posição de parto (posição cefálica) e algumas contrações começam a aparecer nesta fase.

De 3 a 4% nos bebês não viram para posição de parto normal e a minha filha Isabela está neste percentual.

Todas as ecos que eu fiz a Isabela aparece sentadíssima, o que dificulta para um parto normal.

Outra coisa interessante, é que seu bebê reconhece a sua voz. Converse com ele, acaricie a sua barriga e coloque para ele escutar canções de ninar. Ele vai reconhecer os sons e se acalmar quando estiver chorando.

 

Alimentação da mamãe…
Nesta fase o ideal é consumir bastante fibras e líquidos para evitar a constipação intestinal.
Alguns médicos recomendam o uso de ômega 3 para o cérebro do bebê que se desenvolve muito rápido no 3° trimestre. Verificar a necessidade.

7 de outubro de 2013

Nutrição até o talo


Estamos entre os  dez países que mais desperdiçam comida no mundo segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), além disso, temos um dos lixos mais nutritivos do mundo. Isso porque as partes dos alimentos que geralmente desprezamos – talos, cascas, sementes e folhas – chegam a ser mais nutritivas do que a polpa.
Antes de começar a usá-las, é necessário caprichar na higienização. Para retirar os pesticidas, utilize uma escovinha e água para lavar bem os vegetais. Coloque os alimentos em recipientes de vidro ou louça e deixe-os de molho em uma solução à base de hipoclorito de sódio, seguindo as instruções da embalagem. Após é só utilizar a criatividade e encher a mesa de nutrientes.
 

SEMENTES
Apesar de pequeninas, elas concentram elementos de peso. As sementes do maracujá por exemplo, reúnem ômegas 3 e 6, essenciais para as funções cerebrais e transmissão de impulsos nervosos. As de abóbora contém gorduras boas, muitas fibreas e são ricas em vitaminas e minerais, daí a sua importância para o coração, intestino, olhos...
 



TALOS
São cheios de fibras, vitaminas e minerais. Vale a pena aproveitar os talos da alcachofra, brócolis, espinafre e afins para fazer quiches, pães e bolos. Para amaciar os talos, vale cozimento a vapor ou então no caso do consumo em sucos, o liquidificador dá conta.

 



FOLHAS
As folhas podem ser utilizadas em receitas de tortas, farofas, cuscuz, recheios e sopas. Elas são fontes de carotenoides, substância que no corpo são convertidas em vitamina A, nutriente que apura a visão e reduz a formação de placas nas artérias. Sem contar que cada folha possui sua particularidade, a do rabanete apresenta muito selênio, poderoso antioxidante; a da couve-flor, possuí fósforo, um protetor da memória; e a beterraba acumula potássio, mineral que regula a pressão arterial. As folhas devem ser descartadas se estiverem amareldas.
 


CASCAS
O lugar delas com certeza é no prato e não na lixeira. São riquíssimas em fibras, substâncias que estimulam o funcionamento do intestino. A goiaba apresenta em sua camada externa altas doses de polifenóis, inimigos do envelhecimento celular, tendo seu potencial antioxidante duas vezes maior que o da polpa. Outra substância é o nitrato que em pequenas porções é benéfico para as artérias. As cascas de cenoura, abacaxi e da laranja também merecem destaque, porque oferecem potássio, cálcio, fósforo e vitamina C. A da banana é outra que impressiona: cheia de potássio, vitaminas e fibras, ajuda no controle do apetite e na perda de peso. Esses ricos ingredientes podem fazer parte de sucos, bolos, doces, geleias e farinhas.