Perfil

Criamos esse espaço para que nossos pacientes, amigos e curiosos por nutrição possam sempre encontrar informações, novidades, receitas e dicas que vão de encontro ao nosso atendimento. Esperamos que vocês curtam!

CONTATO:

Rua Dr. Montaury 1441 sala 402. Caxias do Sul/RS
Tel: (54) 30664554
Whats: (54) 981557525
Email: clarisse@corporesanocaxias.com.br
Site: www.corporesanocaxias.com.br
Face: www.facebook.com/clarisse.zanette
Instagran: @clarissezanette

30 de janeiro de 2014

Oleaginosas: um punhado para viver mais

O maior estudo epidemiológico sobre a relação entre o consumo de oleaginosas e mortalidade não deixa dúvidas. Quem come um pouco todo dia tem grandes chances de envelhecer com saúde.

As bases de dados da pesquisa se concentra em dois estudos populacionais famosos nos Estados Unidos, ambos focados em profissionais de saúde que respondem, periodicamente e ao longo de quase 30 anos, um questionário sobre alimentação, qualidade de vida, presença de doenças...
Buscando um resultado confiável, foram excluídos fumantes e pessoas com histórico de câncer, além de pessoas fãs de azeite oliva, outro super alimento.
Os devidos cuidados tomados, chegou-se a conclusão: comparando pessoas que comam um punhado de nozes ou congêneres (cerca de 30 gramas diários) sete ou mais vezes por semana com quem mantinha distância delas, a taxa de mortalidade foi 20% menor entre a turma adepta das nuts. A presença das oleaginosas no cardápio está ligado a menos mortes por doenças cardiovasculares, câncer e problemas respiratórios. Apesar de não se poder designar uma relação de causa e efeito, já que os consumidores dos nuts costumam seguir uma dieta mais regrada e praticar exercícios, o que chama atenção é que, mesmo tirando de cena  as questões confundidoras, essa classe de alimentos sempre se manteve ligada aos maiores índices de longevidade.
As gorduras insaturadas contribuem para a diminuição dos níveis de colesterol e as substâncias antioxidantes combatem processos envolvidos em doenças como câncer, diabete e Alzheimer. Por serem ricas em fibras e proteínas, as oleaginosas elevam a sensação de saciedade e parecem acelerar a queima calórica.

NOZES
Destaque: Entre as oleaginosas, são as que carregam mais vitamina E, e ômegas 3 e 6 - proteção extra para o coração.
Quantidade diária: Cerca de 10 unidades pequenas sem casca (30g)
Atenção: Prefira in natura e evite as versões caramelizadas.

Adicionar legenda

AVELÃ
Destaque: Fonte de potássio, mineral que regula a pressão.
Quantidade diária: Em média, 30 unidades.
Atenção: Maneire nas versões torradas açucaradas ou que servem de cobertura para doces.


PISTACHE
 Destaque: Tem fitosteróis, substâncias que baixam o colesterol, e selênio.
Quantidade diária: Até 20 unidades.
Atenção: Evite pacotes com alto teor de sal.


CASTANHA DO PARÁ
Destaque: Rica em selênio, mineral com alto poder antioxidante.
Quantidade diária: 1 a 2 unidades já cumprem a cota de selênio.
Atenção: Não abuse. Selênio demais pode intoxicar.



CASTANHA DE CAJU
Destaque: Fornece vitaminas do complexo B e minerais como zinco e magnésio.
Quantidade diária: Até 20 unidades.
Atenção: Modere nas castanhas salgadas na mesa do bar.


AMÊNDOA
Destaque: Fonte de zinco, estimulante da imunidade, e magnésio, amigo das artérias.
Quantidade diária: Até 25 unidades.
Atenção: evitar as versões torradas com açúcar.


AMENDOIM
Destaque: Cheio de gorduras do bem e reduto de potássio.
Quantidade diária: Em média, 22 unidades. Ou 1/3 de xícara de chá.
Atenção: Priorize o natural. Fuja daqueles com casquinha doce ou salgada.


Lembramos que tudo que é em equilíbrio faz bem! Evite excessos!

Fonte: Revista Saúde

9 de janeiro de 2014

AH, A ÁGUA DE COCO!


Férias, sol, praia, sombra e tranquilidade... Chegou a hora de descansar!

E sabe a água de coco, o tradicional refresco de beira de praia?

Além de refrescante e deliciosa, a água de coco é rica em sais minerais e nutrientes. Em 100 ml, a bebida apresenta cerca de 250 mg de potássio (a porcentagem total das necessidades diárias) e 105 mg de sódio (metade do valor recomendado por dia), além de boas doses de cálcio, magnésio e vitamina C. Ela é considerada um isotônico natural, ideal para repor os líquidos e os sais perdidos através do suor durante a prática de atividades físicas.

Por essas e por outras razões, foi-se a época em que a água de coco só era prestigiada nas praias e durante o verão. Nos últimos tempos, a bebida se tornou uma preferência nacional. Prova disso é que, de tão popular, já deixou de ser encontrada apenas na sua forma natural, servida diretamente da fruta, e invadiu bares, supermercados e restaurantes em garrafinhas e caixinhas.

Em razão da sua composição muito semelhante à do soro fisiológico, com quantidades de água e sódio parecidas, o líquido do coco é indicado para combater diversos problemas de saúde. Por exemplo, ajuda a evitar cãibras e fraqueza muscular e a equilibrar o sistema circulatório, pois regula o nível de sódio e de água no corpo.


É também considerado um eficiente diurético, por eliminar o excesso de água do organismo sem alterar o nível de potássio - como fazem os medicamentos artificiais. "A água de coco é recomendada para pacientes com diarreia, desidratação e que sentem enjôos, como na gravidez e nos tratamentos de quimioterapia. Nesses casos, a aceitação é maior do que a da água", afirma Graziela Souza.


Quer mais? A bebida combate prisão de ventre, dor de cabeça e mal estar, ajuda a reduzir o nível de colesterol e a febre, hidrata e amacia a pele e ainda serve como calmante.

Embora seja fonte de vários minerais importantes para a saúde, a água-de-coco não deve ser consumida em excesso por pessoas que possuem problemas renais, por portadores de diabetes e indivíduos hipertensos, pois a ingestão em demasia da bebida fornece muito sódio e glicose ao organismo. No caso de pessoas com distúrbios renais, o agravante se dá por conta da quantidade de sal que esse líquido possui. A recomendação diária de consumo da bebida nesses casos não deve ultrapassar três copos de 200 ml cada.


Da água de coco ao óleo de cocô


Se a água de cocô já traz benefícios a saúde, a gordura contida no óleo de coco retarda o esvaziamento gástrico, aumentando a saciedade e diminuindo a fome. Ele é fonte de TCM (triglicerídeos de cadeia média), uma gordura de fácil absorção que produz energia rapidamente. Por isso não chega a ficar estocada no organismo.


E os benefícios não param por aí. O óleo de coco é termogênico (acelera a queima de gordura) e é um poderoso antioxidante, é também rico em ácido láurico, um tipo de gordura de ação antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiprotozoária.

E aí, tá esperando o que pra aproveitar os benefícios dessa fruta tão característica do verão?