Perfil

Criamos esse espaço para que nossos pacientes, amigos e curiosos por nutrição possam sempre encontrar informações, novidades, receitas e dicas que vão de encontro ao nosso atendimento. Esperamos que vocês curtam!

CONTATO:

Rua Dr. Montaury 1441 sala 402. Caxias do Sul/RS
Tel: (54) 30664554
Whats: (54) 981557525
Email: clarisse@corporesanocaxias.com.br
Site: www.corporesanocaxias.com.br
Face: www.facebook.com/clarisse.zanette
Instagran: @clarissezanette

28 de janeiro de 2010

DRUNKOREXIA (ANOREXIA ALCOÓLICA)


Estou escrevendo sobre DRUNKOREXIA (em inglês) ou Alcoolrexia (em português), pois muitos pacientes já me perguntaram sobre este assunto.

Drunkorexia é um termo utilizado para diagnosticar um transtorno que mistura o álcool e transtorno alimentar (anorexia ou bulimia). Este transtorno geralmente acontece quando pessoas com anorexia buscam o álcool para tentar inibir o apetite, mas pode acontecer o contrário pessoas alcólatras podem desenvolver a anorexia ou outros transtornos alimentares.
Os anoréxicos, por restringirem muito seu consumo calórico, tendem a evitar o álcool. Mas alguns bebem antes de comer para relaxar ou o fazem para baixar a ansiedade por ter ousado fazer uma refeição. Há casos também em que a pessoa passa o dia sem comer para compensar a ingestão calórica devido ao consumo alcoólico da noite anterior.
Já os bulímicos podem exagerar na comida e na bebida, induzindo o vômito posteriormente para eliminar os excessos.

Segundo pesquisadores, a drunkorexia costuma surgir em pessoas que já possuem algum trauma ou transtorno psicológico. O álcool costuma ser usado para aliviar a dor e a ansiedade causadas pela fome. A droga mais procurada por quem sofre de transtornos é o álcool.
Este transtorno ainda não está classificado no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM –IV) e na Classificação Internacional de Doenças (CID X).
No entanto esse transtorno precisa ser mais estudado. Sabe-se que provoca diversos danos á saúde como dependência ao álcool e doenças associadas ao seu uso abusivo (ansiedade, depressão, nervosismo, traumatismos, convulsões, câncer de garganta, diabetes, dano ao feto, câncer de boca e esôfago,  menor resistência á infecções, danos hepáticos, tremores nas mãos, formigamentos nos dedos das mãos e dos pés, neuropatia, inchaço, gastrite, úlcera, maior propensão a quedas, envelhecimento precoce, perda de memória, anemia, insuficiência cardíaca, hemorragias, alterações na coagulação, diarréia, vômitos, pancreatite e perda ou excesso de peso.

Alterações comportamentais como agressividade, conduta irracional culminando com problemas familiares e com amigos também são conseqüências da doença, além de deficiências nutricionais causadas pela restrição de nutrientes essenciais á manutenção do funcionamento do organismo.

Fique atento se você conhece alguém com estes sintomas. Procure um profissional de saúde!




Nenhum comentário:

Postar um comentário