Perfil

Criamos esse espaço para que nossos pacientes, amigos e curiosos por nutrição possam sempre encontrar informações, novidades, receitas e dicas que vão de encontro ao nosso atendimento. Esperamos que vocês curtam!

CONTATO:

Rua Dr. Montaury 1441 sala 402. Caxias do Sul/RS
Tel: (54) 30664554
Whats: (54) 981557525
Email: clarisse@corporesanocaxias.com.br
Site: www.corporesanocaxias.com.br
Face: www.facebook.com/clarisse.zanette
Instagran: @clarissezanette

23 de outubro de 2012

Ingestão de laranja e chimarrão na gravidez pode ser prejudicial ao feto



Hoje saiu uma matéria bem interessante hoje na Zero Hora e concordo com a Nutricionista Márcia Vitolo. Não podemos radicalizar a dieta da gestante e retirar todos os polifenóis e flavonóides, uma vez que estes são antioxidantes, previnem o envelhecimento, antiinflamatórios,  reduzem as taxas de colesterol e auxiliam no processo de emagrecimento. Além disso, precisam de maiores estudos para fidelizar estas recomendaçõesnos guidlenes e diretrizes.

Pesquisa revelou que alimentos ricos em polifenóis e flavonoides se ingeridos no terceiro trimestre da gestação, alteram a circulação de sangue no feto e podem trazer riscos.

Segundo o estudo sete alimentos deveriam ser substituidos na dieta: chimarrão, chás caseiros, chocolate amargo, café passado ou expresso, uvas, laranjas e bergamotas.



Não é raro encontrar grávidas que evitam ingerir determinados alimentos para não prejudicar o desenvolvimento do feto. Nova pesquisa do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul tenta esclarecer pelo menos parte desta questão: o que pode trazer problemas à criança durante a gravidez? O estudo revelou que alimentos ricos em polifenóis e flavonoides se ingeridos no terceiro trimestre da gestação, alteram a circulação de sangue no feto e podem trazer riscos.

– Por terem um efeito anti-inflamatório natural, estes alimentos inibem a produção de prostaglandina no organismo da gestante e, por consequência, do feto – afirma o cardiologista Paulo Zielinsky, chefe da Unidade de Cardiologia Fetal do Instituto de Cardiologia e professor do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde da Fundação Universitária de Cardiologia.

Durante a vida intrauterina, o ducto arterioso – um canal localizado entre a aorta e a artéria pulmonar – precisa estar amplamente aberto, permitindo que 80% do sangue saído do coração para os pulmões atinjam a circulação do bebê. Isso ocorre espontaneamente até as 28 semanas. Depois, depende da prostaglandina, cuja baixa produção pode levar ao estreitamento do canal. Com o diâmetro do ducto reduzido, aumenta a pressão nos vasos, o que leva à sobrecarga no coração do feto. Após o nascimento, essa complicação causaria até hipertensão pulmonar.

Em sete anos de pesquisa, os médicos analisaram como o organismo da mãe e do bebê reagiam a essas substâncias. De 51 casos de gestantes que apresentavam o problema, 48 tiveram o ducto normalizado somente com a suspensão dos polifenóis da dieta. Os resultados do trabalho foram apresentados neste mês na Universidade Johns Hopkins, nos EUA, durante o Simpósio de Avanços em Cardiologia Perinatal.

Lançar alarme é precoce, diz nutricionista
A preocupação com o que ingerir deve começar na 13ª semana gestacional. É a partir daí que a dieta da grávida vai interferir no feto. A nutricionista Márcia Vítolo, professora do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e especialista em nutrição materno-infantil, lembra que esta contraindicação não existe nas diretrizes de órgãos oficiais ligados à saúde.

– O trabalho é bem feito, mas, para assumirmos como recomendação, ainda tem um caminho – explica Márcia.

Por ora, ela afirma que o essencial é evitar o ganho excessivo de peso durante a gravidez e manter um acompanhamento nutricional durante o pré-natal. 


http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/bem-estar/noticia/2012/10/ingestao-de-laranja-e-chimarrao-na-gravidez-pode-ser-prejudicial-ao-feto-3926673.html
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário